Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish
  • (27) 2102-2220
  • (27) 99956-2200
  • contato@clinicadedores.com.br

Coccigodinia

Doutor sinto muita dor ao sentar ou ao levantar da posição sentada! O que eu tenho?

 

A coccigodinia é uma condição clínica mais frequente nas mulheres, caracterizada por dor e edema na região coccígea, pode estar associada a trauma( distensão dos segmentos sacrococcígeos, fraturas e luxações), forma anatômica desta região( ausência da curvatura anterior, desvio na angulação do cóccix) ou presença de tumores na região. Coccigodinia pode ocorrer após um parto vaginal difícil.Menos comum, a artrite sacrococcígea pode causar coccigodinia.

 

Anatomia

 

O cóccix é a porção distal da coluna vertebral. Tem forma cônica, composto por quatro ou cinco segmentos de vértebras. Estes ossículos são móveis ao nascimento e tendem a se fundir posteriormente. A articulação entre o sacro e o cóccix é chamada de sacrococcígea e apresenta pouco movimento. A inervação do cóccix é feita pelas divisões primárias posteriores dos nervos coccígeos.

A movimentação diária do cóccix é muito dinâmica, ocorre durante a defecação e quando o indivíduo se senta há um deslocamento anterior( amortecedor de choques).

 

Quadro Clínico

 

Presença de dor e edema na região coccígea. Dor e hipersensibilidade no cóccix. O sintoma não é característico unicamente desta síndrome. É preciso fazer diagnóstico diferencial de dor lombar aguda. O desconforto geralmente é percebido ao sentar-se ou ao levantar-se da posição sentada.

Uma das principais causas de coccigodinia crônica é a pós-traumatica, na qual o cóccix permanece angulado anteriormente subluxado ou com fratura consolidada, se apresenta com dor crônica. Ao exame retal, o elevador do ânus, piriforme, músculos coccígeos podem apresentar-se endurecidos, e a palpação destes músculos pode causar espasmo severo.

 

Diagnóstico

 

É realizado através da sintomatologia e história clínica do paciente. O estudo radiológico funcional do cóccix é feito pela incidência de perfil na posição ortostática( em pé) e sentada, o que possibilita a análise da movimentação do cóccix. A USG pode ajudar a descartar outras doenças ocultas ou tumores. Baseada na sintomatologia clinica são propostos exames de sangue completo, dosagem do PSA( em pacientes do sexo masculino).

A classificação radiológica da dinâmica do cóccix pode nortear tratamentos e comparar resposta terapêuticas por subgrupos.

Em pessoas magras, após um trauma na região do cóccix, pode se desenvolver um tecido fibroso reacional ao atrito, que gera um quadro clínico de dor.

 

Tratamento

 

O tratamento inicial indicado para a coccigodinia é conservador, através do uso de almofadas especiais( em forma de donuts) para sentar-se, fisioterapia para analgesia, antinflamatórios e infiltrações locais. Na maioria dos casos há melhora do quadro clínico em aproximadamente 3 meses.

Geralmente em torno de 1 ano, em 20% dos casos pode haver recorrência do quadro em pacientes tratados de modo conservador. A repetição do tratamento conservador pode levar a alívio permanente.

Se todas estas medidas não surtirem efeito é indicado o tratamento cirúrgico.

 

Em casos refratários está indicado:

-infiltração local;

-manipulação do cóccix sob anestesia geral;

-injeção epidural caudal de esteroides;

-bloqueio ou neurólise;

-técnicas neurolíticas direcionadas a S4,S5, e nervos coccígeos;

-coccigectomia(remoção cirúrgica da porção móvel do cóccix

 

Referências

Imagens – fonte:

http://www.suggestkeyword.com/Y29jY3lkeW5pYSBleGVyY2lzZQ/

 

https://www.pazienti.it/sintomi/coccigodinia

 

CHUEIRE, Alceu Gomes et al. Coccigodinia: Tratamento cirúrgico. ACTA ortopedia Bras 10(4) out/dez. 2002.http://www.scielo.br/pdf/aob/v10n4/14324.pdf

 

GONZALES, Marco Túlio et al. Coccigodinias: diagnóstico por imagem. Rev. imagem;30(2):43-50. Abr.-jun.2008.

 

GOMES, Monres José. Atlas comentado de ultrassonografia musculoesquelética. 2ª ed. Rio de Janeiro. Revinter, 2011.

 

GREENBERG, Mark S et al. Manual de neurocirurgia. 5ª ed. Porto Alegre. Artmed, 2003.

 

Cinthia Rafaela

Aluna do quarto período de medicina

Centro Universitário do Espírito Santo

Compartilhe esse post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • (27) 2102-2220
  • (27) 99956-2200
  • contato@clinicadedores.com.br